Dermatologia Clínica

A acne é formada por cravos e espinhas que são resultado do processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos. Essa condição pode ser resultado da produção de hormônios, alimentação desregulada, uso de cosméticos diariamente, excesso de estresse e poluição. Ombro, rosto, colo e costas são os lugares mais comuns para o aparecimento da acne. Alguns dos procedimentos que podem ajudar a controlar e acabar com esse problema são: medicamentos via oral e tópico, aplicação de ácidos, laser fracionado, peelings e microagulhamento.

Dermatite é uma doença inflamatória que tem coceira, vermelhidão e bolhas como principais sintomas. Sua origem pode estar relacionado ao contato direto, fatores genéticos e emocionais, clima ou oleosidade da pele. A dermatite pode ser perioral, de contato, seborreica ou atópica. A escolha do tratamento depende do seu tipo e gravidade. Por exemplo, em casos de dermatite atópica, o ideal é evitar banhos muito quentes e hidratar a pele constantemente. Já para dermatite de contato, o tratamento pode ser feito através de medicamentos via oral ou injetáveis.

As doenças das unhas mais comuns são escamação, unha encravada, manchas brancas, infecções fúngicas e bacterianas. Para evitar o aparecimento dessas doenças, o indicado é manter as unhas sempre limpas, evitar usar esmalte todos os dias sem intervalo, evitar roer, retirar a cutícula e mexer na unha quando estiver encravada. Sempre que perceber que suas unhas estão fracas e quebradiças, procure a ajuda de um profissional. Os tratamentos podem incluir uso de medicamentos via oral ou tópicos e procedimento cirúrgico para remover tumores ou corrigir anormalidades estruturais.

A foliculite é uma infecção que acomete os folículos pilosos. Também conhecida como pelos encravados, essa inflamação tem como sintomas: surgimento de pequenas espinhas com ponta branca em torno de um ou mais folículos pilosos, coceira e dor. A melhor forma de evitar o aparecimento dessas pequenas lesões é optando pela depilação a laser, que retira os pelos pela raiz.

A hiperidrose, também conhecida como excesso de suor, é uma doença que aparece, normalmente, nas axilas, palmas das mãos e plantas dos pés. Não existe uma causa única, esse problema pode aparecer devido a algum distúrbio emocional, trauma ou condições hereditárias, por exemplo. Apesar de não apresentar complicações para a saúde, essa doença gera muito constrangimento e incômodo. E um dos tratamentos mais procurados é a aplicação de toxina botulínica nas áreas afetadas. Essa substância consegue bloquear os estímulos das glândulas sudoríparas.

As infecções de pele podem ser causadas por bactérias, fungos, vírus ou parasitas.e para cada tipo de infecção existe um tratamento específico, que pode incluir antibióticos, cremes tópicos ou medicamentos via oral. As infecções mais comuns são: espinhas, abscesso, celulite, dermatofitose, verrugas, impetigo e sarna. Converse com seu médico para receber o diagnóstico correto e iniciar o tratamento mais indicado para o seu caso.

Os nevos, também conhecidos como pintas, são as lesões de pele mais comuns. Essas manchas ou pequenas elevações têm a coloração que varia entre o castanho e o preto. Os sinais podem ser benignos ou malignos, e para diferenciar um do outro é essencial procurar ajuda de um dermatologista para realizar os exames necessários, como dermatoscopia e biópsia, e receber o diagnóstico correto. Realize um check up da pele regularmente para acompanhar o surgimento de novos e a evolução de antigos nevos.

O melasma é uma condição que tem como principal característica o aparecimento de manchas escuras no rosto, colo, braços e pescoço. Ainda sem causa definida, o melasma está relacionado à exposição solar. Alguns dos procedimentos mais indicados para tratar esse problema são: uso de medicamentos tópicos, peeling, luz intensa pulsada e sessões de laser.

As micoses são infecções causadas por fungos. Essas infecções podem surgir em diferentes lugares do corpo que possuam as condições ideais (calor e umidade), como cabelo, pele e unhas. Onicomicose, tineas, candidíase e pitiríase versicolor são alguns dos tipos de micoses mais conhecidos. O tratamento das micoses pode ser feito com medicamentos via oral e tópicos.

A psoríase é uma doença de pele crônica que aparece em surtos, periodicamente. Com causa ainda desconhecida, sabe-se que está relacionada a interações com o meio ambiente, com o sistema imunológico e questões genéticas. Essa doença pode ser vulgar, gutata, do couro cabeludo, pustulosa, invertida, artotropártica ou eritodérmica. Para cada um desses tipos de psoríase existe um tratamento específico. As técnicas mais utilizadas são: medicação via oral, aplicação de fármacos tópicos, injeções e fototerapia.

A queda de cabelo em excesso pode ser causada por diversos fatores, como problemas hormonais, tendência familiar, alterações no metabolismo, problemas na tireoide, anemias, alopecias de origem emocional, micoses, infecções do couro cabeludo e eflúvio telógeno, por exemplo. Após uma avaliação médica, o tratamento pode ser feito com microagulhamento, drug delivery, mesoterapia, LED e laser fracionado.

A rosácea é uma doença crônica que tem como principal sintoma o aparecimento de vasinhos dilatados e vermelhidão no rosto. Essa condição não apresenta grandes complicações para a saúde, mas pode afetar a autoestima do paciente. A doença apresenta surtos e pode piorar com sol, frio intenso e até consumo de alguns alimentos e bebidas. Ainda sem cura, a rosácea pode ser tratada e controlada através do uso de protetor solar, sabonetes específicos, laser, antibióticos e luz intensa pulsada.

O vitiligo é uma doença caracterizada pela perda da coloração da pele. O principal sintoma dessa doença não contagiosa é o aparecimento de manchas, formadas devido à diminuição ou total falta dos melanócitos, as células responsáveis pela formação da melanina. Com causa ainda desconhecida, essa doença pode estar relacionada a traumas ou alterações emocionais. Apesar de não ter cura, o vitiligo pode ser controlado através de alguns procedimentos como sessões de laser, transplante de melanócitos, medicamentos tópicos, fototerapia com radiação ultravioleta B banda estreita (UVB-nb) e fototerapia com ultravioleta A (PUVA).